First Top Banner

Wishlist
R$0,00
0 item(s) Carrinho
Minha sacola - 0 item Fechar

Você não tem itens no seu carrinho de compras.

Bruna Herminio

Produto adicionado no carrinho x

Bruna Herminio

Bruna Herminio

Bruna Herminio

1 Produto(s) encontrado(s)

   

Bruna Herminio

1 Produto(s) encontrado(s)

   

    Bruna Herminio Pelaz Nogueira, que reduz sua apresentação para Bruna Herminio, nasceu no interior do Espírito Santo, em um município histórico chamado Muqui. Apaixonou-se por literatura ainda na infância, quando encontrou em uma das prateleiras da escola o livro “Assassinato na Biblioteca”, de Helena Gomes. Bruna, uma criança de 8 anos, viajou para um universo de mistério e suspense. O livro despertou o desejo por mais. Tornando-a uma leitora assídua. Enquanto vivia por mundos e universos apresentados pelos livros que lia, esquecia-se do mundo real. Após um incidente desagradável, percebeu que um lápis e um caderno são muito terapêuticos, e foi então que começou a escrever. Eram poesias e letras de músicas. O seu rumo de escrita somente mudou após terminar de ler a “Saga Crepúsculo”. Ela não se conformava com a forma que tudo terminou, e foi então que decidiu escrever histórias, podendo colocar o final que achasse mais conveniente. Enquanto escrevia, o tempo passava rápido, a imaginação fluía e as mãos pareciam ganhar vida própria. Mas eram apenas rabiscos pessoais, que não tinha coragem de mostrar para os outros. Ao terminar o ensino médio, Bruna conseguiu uma bolsa de estudos e foi estudar História, pelo Centro Universitário São Camilo. Durante o curso, aprendeu muito sobre aceitação e respeito. Inclusive respeito por si. Foi então que conheceu a plataforma do Wattpad, por indicação de sua amiga Melissa, onde começou a postar as histórias que sempre manteve guardada, inclusive no interior de sua mente e coração. Com o passar do tempo, a escrita tornou-se parte de seu cotidiano. Enquanto dormia, sonhava com histórias que de manha anotava, visto que poderiam se tornar roteiros para próximas obras. Enquanto limpava a casa, imaginava-se como uma delegada, ou fantasma, ou médica, vivendo uma grande aventura. Se ela é o que é hoje, foi tudo por aprender, através da escrita, a se colocar no lugar do outro. Moldando-se eticamente e compreendendo o que é reciprocidade.
mostrar mais